Warning: Creating default object from empty value in /home/inpdwp/inpd.org.br/wp-content/themes/inpd/includes/framework/inc/class.redux_filesystem.php on line 29
Magdala Novaes, pesquisadora do INPD, é eleita a pessoa mais influente em saúde digital na América Latina – INPD

Ciência e Sociedade
Notícias

Magdala Novaes, pesquisadora do INPD, é eleita a pessoa mais influente em saúde digital na América Latina

Magdala Novaes, pesquisadora do INPD, é eleita a pessoa mais influente em saúde digital na América Latina 150 150 admin

Beatriz Melo/Assessoria de Comunicação do NUTES-UFPE

A coordenadora do Núcleo de Telessaúde (NUTES) e docente da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Magdala de Araújo Novaes, foi a vencedora do prêmio HealthXL Latin America Award, que ocorreu no dia 20 de março, em São Paulo. A votação final foi realizada durante o coquetel de premiação e, entre os dez nomes finalistas, Magdala Novaes foi eleita a pessoa mais influente em saúde digital na América Latina. Com o prêmio em mãos, ela representou a América Latina na etapa mundial do HealthXL Award, no dia 30 de maio, em Dublin, na Irlanda.

Graduada em Ciência da Computação pela UFPE e Doutora em Bioinformática pela Université D´Aix-Marseille II, na França, Magdala é conhecida por ser pioneira e uma das mais experientes profissionais da área de saúde digital (eSaúde) no Brasil, principalmente em telemedicina e telessaúde. É responsável pela criação e coordenação de inúmeros projetos e pesquisas na área. Atualmente, é professora associada do Departamento de Medicina Clínica e docente do Curso de Medicina da UFPE.

Sua trajetória teve início em 1988 no Instituto de Tecnologia em Informática (ITECI), no Recife, quando prestou serviços de consultoria a empresas como Petrobrás e Chesf. No meio acadêmico, iniciou suas atividades em 1994 no Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami – LIKA da UFPE, criou o Grupo de Pesquisa em Tecnologias da Informação em Saúde (TIS) em 1996, e a disciplina de Informática em Saúde no Curso de Medicina da UFPE em 1997, ofertada para cursos de graduação e pós-graduação em saúde. Numa época em que a saúde digital havia sido pouco explorada no Nordeste e no Brasil, Magdala desenvolveu, em 1997, o projeto Sistemas de Atendimento e Informação em Saúde – SAIS, pelo PRONEX/MCT, em parceria com o Centro de Informática (CIn) da UFPE, por meio do RETINA – Rede de Tecnologias da Informação e Aplicações.

Dentre muitos outros, Magdala desenvolveu em 2001 um projeto de telemedicina voltado para a atenção primária à saúde, financiado pelo Ministério da Saúde. Esse mesmo projeto permitiu a criação, em 2003, do primeiro núcleo de telessaúde implantado em um hospital público: o NUTES-UFPE, localizado no Hospital das Clínicas do Recife. Entre outras atividades, o núcleo coordena a Rede de Núcleos de Telessaúde de Pernambuco – RedeNUTES, que desenvolve o Programa Telessaúde Brasil Redes no estado, e participa de outras grandes redes nacionais de telessaúde como a Rede Universitária de Telemedicina – RUTE, a Universidade Aberta do SUS – UnaSUS e  a  Hemorrede Virtual – RHEMO. Em outubro de 2013, quando completou dez anos de vida, o NUTES-UFPE foi reconhecido e homenageado pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) por sua contribuição ao desenvolvimento da telessaúde na América Latina.

Em relação ao prêmio recebido em São Paulo, Magdala disse que “é uma motivação a mais para continuar vencendo todos os desafios enfrentados diariamente, no intuito de integrar as iniciativas públicas e privadas na construção de um sistema de saúde que não seja ‘único’ apenas no nome, mas que seja forte e que atenda as demandas no tempo certo e com a devida qualidade”.

Veja mais detalhes da cobertura do HealthXL Latin America Award, clicando aqui.