Ciência e Sociedade
Notícias

Capacitação de profissionais do PSF em saúde mental é tema de projeto do INPD

Capacitação de profissionais do PSF em saúde mental é tema de projeto do INPD 150 150 admin

Por Victória Cirino

Com o objetivo de aprimorar os conhecimentos de médicos e enfermeiras do Programa Saúde da Família em diversas Unidades Básicas de Saúde, Cristiane Silvestre coordena um projeto do INPD que promove a capacitação desses profissionais para a identificação e o manejo de crianças e adolescentes que apresentem sintomas relacionados a transtornos psiquiátricos.

Antes do início da intervenção, os pesquisadores coletam material sobre conhecimentos, atitudes e práticas prévias dos profissionais, a fim de estimar o quanto eles sabiam sobre o tema antes da capacitação, que é realizada por tele-educação via internet (com vídeos, manuais, imagens, salas de discussão, etc.), em uma parceria com a disciplina de Telemedicina da Faculdade de Medicina da USP. Além disso, temas específicos que surgirem nos questionários podem ser trabalhados durante a curta capacitação presencial de 8 horas.

Rosane Lowenthal defendeu sua tese de doutorado dentro do projeto em 2012. Ao lado de Cristiane, ela foi responsável pela capacitação ligada ao manejo dos escolares identificados com certos transtornos em saúde mental. De acordo com Silvestre, técnicas muito simples como ajudar a mãe a se comunicar melhor com o filho podem ser essenciais no bom prognóstico da criança.

Uma combinação interessante foi feita entre este projeto e o estudo de mapeamento da saúde mental do escolar brasileiro (saiba mais sobre este estudo clicando aqui). As cidades estudadas pelo outro projeto do INPD também receberão capacitação, que já foi feita com 57 profissionais da atenção primária em São Paulo e em Fortaleza. Os pesquisadores observaram que houve uma mudança positiva na atitude prática dos profissionais após o contato com o material didático.

O público-alvo do estudo é constituído por médicos e enfermeiros, sendo que o projeto busca capacitar sempre dois profissionais de uma mesma equipe, uma vez que as equipes de saúde da família são constituídas por médico, enfermeira, auxiliar de enfermagem e entre cinco e dez Agentes Comunitários da Saúde (ACS). Silvestre adianta que, no futuro, espera-se incluí-los em projetos de capacitação, com material desenvolvido especificamente para esses profissionais.

Para este ano, estão programados mais três cursos de capacitação: na região centro-oeste, norte e sudeste.